… e poesia.
Essas fotos estão aqui prontas desde o sábado passado (17.04). E desde o sábado passado que eu tento escrever algo, mas o tempo não permitiu!
Foi um dia gostoso, dia de reencontrar amigos!
Dia de conhecer gente de sabedoria: J. Borges e suas sábias palavras. Simples, mas sábias!

“Fui criado no tempo em que o telefone era um grito. os remédios era chás de folha de mato, o médico era uma rezadeira, as festas eram comemoradas com samba de toada e o almoço era guisado de miúdo de boi.
 
Na Maioria das casas tinha uma almofada de pano para fazer rendas, não existia rádio nem televisão. As diversões eram mamulengo, cantoria de viola, um terço rezado numa sala de chão de barro forrada com uma esteira de periperi, com um altar cheio de flores e velas acesas em pires emborcados.”
(Fragmento de texto retirado de catálogo do artísta)

Quando a gente entra no espaço J. Borges, entra acompanhado por um trololó que não para, é o próprio que fala sem parar. Conta seus casos, suas experiêcias, sua trajetória. Dando aula pra quem quiser ouvir, e este que quiser, sairá de lá com aprendizados que não há o que pague.
A primeira frase que eu ouvi quando entrei foi:

“Eu fui dar uma aula em uma faculdade… Eu sou analfabeto, mas eu dou aula em faculdade…”



Seguida de um sorriso orgulho, de quem sabe o valor do seu trabalho.

E ele não para, emenda um frase na outra e segue com o curso de sua fala, entre uma assinatura e outra!

J.Borges é referêcia em Cordel e Xilogravura e eu não sou a pessoa mais indicada pra falar da sua trajetória, o que posso dizer é que ele começa com cordel nas feiras populares, lança mão da xilogravura para ilustrar suas histórias e hoje expõe em galerias de arte no Brasil e no mundo! Ainda assim continua lá na cidade onde nasceu: Bezerros-PE e passa para seus decendentes os segredos do ofício. Atende a todos com simplicidade, alegria e orgulho, num galpão simples, mas cheio de magia!
Seu ateliê é repleto de matrizes pendurada por todas as paredes:

“Quando a matriz não serve mais pra reproduzir, eu coloco elas pra vender”

São Gravuras com gosto de terra e de cultura, de cultura que é nossa.
Elas falam de nós e para nós.
É lindo de ver, dá vontade de tocar. Dá pra se perder em meio à tantas imagens e tantas histórias contadas por ela.
É um imaginário que não tem fim!

Isadora, que sempre nos acompanha em todos os lugares, adorou e apreciou cada coisinha e no fim, como não poderia ser diferente, me fez comprar um livro pra ela! E eu que não consigo lhe negar um livro, tive mais um motivo pra guardar meu não para outro momento: O livro é lindíssimo (na verdade jum catálogo de uma exposição no Museu Oscar Niemeyer), bom de ver, de ler e de tocar!

13 Respostas to “FEITO DE MADEIRA, TINTA…”

  1. Nossa cultura é mesmo muito linda e muito rica!
    E parabéns por incentivar sua filha a ler!
    Beijos

    [Responder]

  2. Oi Eva!!Queria te convidar pra conhecer o meu novo blog/lojinha!
    http://biodecoracaoloja.blogspot.com
    "fofurices com cheirinho de lavanda"
    Logo, logo vai rolar sorteio, fica ligadinha!!
    Beijos!!

    [Responder]

  3. Oi Eva,

    J. Borges (eu não conhecia, agora conheço) faz parte dos inúmeros personagens desse "Brasilzão de meu Deus", como diria a minha mãe,e são esses personagens que fazem o nosso Brasil tão rico, diferente, e adorável!!!

    Beijos
    Lola BH

    [Responder]

  4. Evaaaaaaaaa!!!
    Amei teu blog, guria!
    Lindo!
    ihhhhhh…já era! estarei sempre por aqui!
    heheehhee
    bjokas

    [Responder]

  5. Ahhh que arte tão linda !
    É tão bom saber de alguém que faz arte e conseguiu construir a vida com base nela…
    No Brasil em especial isso é bem difícil !

    Meu blog:
    http://www.designdecasa.blogspot.com

    [Responder]

  6. Oi, Eva… lindo o post porque mostra um pouco destas maravilhosos artistas que o Brasil – e sobretudo o Nordeste – produz. Quem não quer umas xilogravuras dessas…. eu quero.
    beijo

    [Responder]

  7. Evita!!

    Eu já conhecia os trabalhos do J. Borges, amo xilogravura!! Uma vez liguei para o ateliê dele uma vez para encomendar uma tela, achei o trabalho dele bem barato até…

    Vem cá, vc é filha da Margaret, vencedora do meu concurso??

    beijocas.

    [Responder]

  8. Que encanto, Eva! Sou alma antiga e sonho em me desligar de certas modernidades e me enfurnar no mato, voltar à simplicidade, ouvir causos dos mais velhos… Delícia ver sua pequena apreciando a cultura popular! As fotos ficaram incríveis, detalhadas e expressivas.
    Beijos

    [Responder]

  9. Que trabalhos magníficos :) Lindíssimos mesmo!!

    [Responder]

  10. trabalhos lindo demais,
    bjbj

    [Responder]

  11. Ele é fantástico, né. Tive o prazer de fazer uma oficina com ele de xilogravura. Além de super simpatico, ensina com uma delicadeza e facilidade. Fantástico!!
    Adorei seu blog!!
    Beijos

    [Responder]

  12. Oi flor, essa sua prosa me encheu de vontade de passar umas horinhas proseando com esse moço aí do tempo da ciranda de roda!
    Puxa, que poeta! Lindo, não?

    Amei teu cantinho e tudo o que ele traz! Vou voltar mais vezes!
    Beijokas mil.

    [Responder]

  13. Parabéns para J. Borges – Artista de Alma Limpa – e para você que captou essa essência tão bem!

    [Responder]

Escreva um comentário

(requerido)

(requerido)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

© 2014 asperipeciasdeeva.com.br Suffusion theme by Sayontan Sinha