Vamos começar mais uma semana cheia de boas energias?

Pra maioria das pessoas a segunda é terrível, mas vamos pensar numa coisa?
Ela é o início, recomeço, o 1o. dia da semana! Vamos tentar mudar essa visão e sentimento e tratá-la como um dia que inicia uma semana cheia de possibilidades.

Então vamos começar!?
BOM DIA! Hoje é segunda uhuuuuu!

Precisa de razão?
Tenho ao meu alcance esses sorrisos todos os dias
Acordo com pelo menos dois beijinhos de bom dia, todas as manhãs
Tenho uma dupla perfeita que se junta pra fazer planos secretos “escondidos”de mim.
Ele 20 anos mais velho que eu, ela 20 anos mais nova que eu!
Aprendi a segurar a mão dele e enfrentar o mundo, por causa dela descobri uma forma inexplicável de amar.

Pra ele eu canto: “Deixa eu dizer que te amo… deixa eu gostar de você…”
Pra ela: “É preciso amar as pessoas como se não houvesse o amanhã…”

Ele me deu o maior presente do mundo! Ela permite que eu cuide desse presente como sendo meu, mesmo sendo do mundo, pra falar a verdade.

Nele eu tenho um colo pra deitar, ela tem o meu!

Ele me traz fotos de árvores de presente e ela flores pra colocar atrás da orelha!

Como diria Renato:
“Quem um dia irá dizer
Que existe razão
Nas coisas feitas pelo coração?
E quem irá dizer
Que não existe razão?

Bom dia Marido!

_____________
Tô emotiva né? Faz parte!

Gosto de pensar e repercorrer os caminhos que me trouxeram ao momento presente!

Eu faço isso inconscientemente o tempo todo, mas de noite, quando todos dormem, o ateliê tá em silêncio, eu realmente viajo!
Às vezes viajo pra perto e fico rondando um tempo quase que presente, mas às vezes eu vou pra longe, beeeem longe, tão distante que parece que foi outra vida.

Ultimamente os trabalhos aqui no ateliê têm me transportado pra um tempo que pra mim foi muito feliz e rico. Um tempo que me deu a base para muitas coisas do hoje.

O pensamento me levou pra um casarão que abrigava uma fábrica.
Em meio à balancins, costureiras, lixadeira, borrachas, montadores, prensas, couro, cola, facas, bancadas, máquinhas de costura, borracha, papelão, fivelas, eu crescia!
Dessa fábrica saiam sapatos, bolsas, cintos, carteiras… peças em couro criadas e modeladas por minha mãe!
Ela teve alguns nomes, mas pra mim sempre foi “A FÁBRICA”

A Fábrica existiu por um bom período da minha vida de criança e avançou pela adolescência até perto dos 15 anos. Teve vários formatos, em vários prédios, em nossa casa, longe, perto… mas minhas lembranças se concentram sempre no casarão da Boca do Rio (bairro de Salvador) quando eu tinha entre 8 e 10 anos e Isabela era só uma bebê que dormia em cima de uma pilha de borrachas para sola de sapato.

Acho que minha paixão por produzir nasceu daí. E meu conhecimento de alguns processos e materiais também!
Eu era criança, mas ajudava voluntariamente e sempre fui muito curiosa, perguntava tudo, observava tudo e tentava reproduzir tudo – mesmo que fosse em sapatinhos e bolsinhas para minhas bonecas!
Meus pais sempre nos envolviam nesse mundo da fábrica de maneira que eu não enxergava aquilo como algo que fazia parte só da vida deles de adulto, eu me sentia inserida – ajudando ou não, participando diretamente ou não – Saia da escola e ia pra lá e por lá ficava até a hora de ir pra casa. Por um tempo, quando a produção ficava intensa e meus pais não conseguiam voltar pra casa, montavam uma mini casa em um dos cômodos e ficávamos lá em tempo integral.

Lembrar da Fábrica é muito bom e o trabalho na La Pomme me obriga a fazer esse resgate quase que diariamente!
É ela que eu respiro quando preciso encontrar a solução de um problema de produção, é no que aprendi lá que eu me pauto no momento de criar uma nova peça. Revivo tudo que era feito por alí e que pode ser aplicado no meu trabalho hoje. O trabalho lá era tão diferente do que é feito aqui, mas inegavelmente foi a minha escola!
Eu não precisei pesquisar qual o melhor tipo de cola pra determinado material, eu já sabia! Nem descobrir a melhor forma de colocar zíper de metro! Eu nunca costurei na vida e hoje toda a costura da La Pomme é feita por mim sem nunca ter feito um curso de costura! Aprendi “sozinha” com toda minha bagagem de lembranças de como faziam as costureiras e minha própria mãe! Eu quebrei muita agulha, perdi muitas peças, e já chorei sentada na máquina porque não conseguia reproduzir e materializar o que minhas lembranças mostravam. Mas junto com um pouco de teimosia e persistência foi a Fábrica que me norteou.
Claro que pesquisar, melhorar, reciclar conhecimento é bom, válido e produtivo! E isso faz parte do meu hoje também, mas a Fábrica e seus processos estão em mim! Me ajudam todos os dias a viver o meu sonho!

O ritmo de trabalho aqui tá intenso, a La pomme é um bebê que tá sendo criado, moldado, mas já tem dado muita alegria pra gente. Hoje, em mais uma noite que talvez tenha que virar trabalhando, fiquei aqui no meu silêncio, revisitando esse tempo e lembrando que a A Fábrica começou, num cantinho da casa pra aumentar a renda e foi crescendo e se multiplicando até ser só A Fábrica. E não tem como não linkar com o fato de que há 8 anos eu fazia cadernos personalizados pra ganhar um trocadinho extra e hoje a La Pomme existe ainda que como bebê, mas uma empresa/ateliê caminhando para sua independência. Não tem como não sentir um orgulhinho suave e gostoso que dá força pra virar mais noites com um sorriso largo estampado no rosto.

_______________________
E o que essas imagens têm de ligação com o post? É que quando viro noite e o dia amanhece, gosto de ir lá no quintal/jardim e fazer algumas fotos com essa luz fresquinha de um novo dia!

E então que tô eu no meio da tarde aqui no ateliê costurando trocentas necessaires e um entregador chama dizendo que é uma entrega para Eva Caroline (pra mim? não tô esperando nada!).

E eu pensei que era aprontação do Sr. Eder! Mas não era!!! Era uma cesta cheia de macarrão! Um presente da Vitarella pra gente comemorar o dia do macarrão aqui em casa!

Pensei que eu nem ia poder comemorar comendo macarrão porque já tinha almoçado! Mas maridinho, decedente de italiano que é, disse que era muita tentação uma cesta cheia de macarrão! E aí que eu decidi fazer um jantarzinho feliz pra gente hoje de noite.

Aqui tá uma correria danada, afinal já é fim de ano e o ateliê fica a mil, mas valeu dar uma paradinha pra comer comidinha gotosa!

A “receita” não tem tá? Eu deixo isso pra minhas amiguinhas Glau, Ju e Cami. Mas fomos de  macarrão carbonara e o princípio básico é:
Macarrão fetuccine – bacon – ovos – creme de leite :D

E agora eu tô aqui de barriguinha cheia e feliz pra encarar mais umas horinhas de trabalho!

Boa noite pessoas!!!

___________
Isso não é um publieditorial ok? Ganhei presentinho, recebi uma cartinha fofa e realmente fiz uma comidinha boa e tive um momentinho feliz com marido ;)

Lembram que eu mostrei esses dias como deixar os puxadores luxo, glória e poder?

Mas eu mesma não sigo meus conselhos e não embelezei nenhuma gaveta! “óia”

Eu usei uma moldura antiga que tinha aqui, cortei isopor na medida interna da moldura, forrei com tecido e encaixei na moldura (simples assim :D )
Aí fiz furinhos com a furadeira e coloquei gancho L e os puxadores!

Agora não tem mais desculpa pra perder as chaves ou esquecer um compromisso e de quebra ainda tem espaço pra recadinhos felizes!

Curtiu?

Quando eu postei essa parede com tábuas da obra, me perguntaram como eu fiz com os fios e eu fiquei de colocar aqui e não coloquei.
Prendemos as tábuas afastadas da parede o que facilitou passar os fios por trás. A gente fez assim ó:

Só precisa de furadeira e essa pecinha redonda chamada serra copo.

___________
Pronto! Só não vale olhar pro teto porque tem fiozinho de caixa de som que eu ainda não sei o que fazer pra esconder ou embelzar!

A parede da cabeceira do meu quarto tava tão, mas tão sem graça e eu queria alegrá-la em 5 minutos!
Tive mil e ideia e todas levariam pelo menos horas… outras até dias. Mas eu queria algo instantâneo igual a leite em pó! rs

E aí que eu lembrei que tinha papeis coloridos no ateliê, cortados em tamanho bacana pra fazer minha parede ficar colorida assim PÁ PUM!

Eu não usei nadica pra medir.
Simplesmente fui colando com fita crepe!
Minha mãe me perguntou porque não usei fita dupla face pra não ficar a fita aparecendo. E o motivo é bem simples… não pretendia ter nada certinho mesmo não, só queria uma parede menos feinha e alegre! Sem contar que fita crepe quando eu enjoar eu tiro e pronto!

_________________
Aproveitei pra resgatar essa mesinha linda do estúdio aqui pro meu quarto!

…e muita tralha

Usar cestinhas pra organizar as coisas não é novidade nenhuma, mas ainda assim elas ocupam espaço em algum lugar e espaço é um luxo por aqui!
Daí que pra liberar o espaço onde elas estavam eu as pendurei! :D

A ideia era pendurar com ganchinhos, mas fiquei com preguiça de furar com furadeira, fazer pó. Então se tu não tiver onde pendurar com barbante como eu fiz, pega a furadeira, coloca pitão e pendura as danadinhas :D

Dois puxadores velhos e jogados dentro de um pote desde que mudamos pra cá!
Porque eles não foram pro lixo? Porque eu sabia que um dia eles deixariam de ser assim feinhos e descartados!

As fotos são auto explicativas né?
Só uma diquinha: passa um mão de verniz spray e eles duram mais, mas também se tu não passar e ele sujar logo, é só forrar de novo é tão fácil!

Gostaram? Vamos dar um levantada naquela cômoda sem graça?

__________________
Usei um retalhinho de tecido fofo da La Pomme com a estampa amor pop! :D
Quando eu digo que amo meu trabalho…

Vou te contar um segredo e te fazer um pedido posso?

O segredo (mas esse não pode espalhar não tá?) é que eu tenho uma mãe birutinha da silva, doida de pedra, desmiolada que inventa um monte de maluquice só pra fazer o povo dar risada (incluindo a minha pessoa). Nas madrugadas de trabalho ela quase sempre é a minha companheira. A gente liga a cam e fica trabalhando e rindo (muito!)
E nessa madrugada ela tinha uma missão especial, preparar um post pra pedir com muito carinho, amor e palhaçada que a gente (eu, tu que me lê agora e quem lê ela lá no blog dela) pra votar na cadeira dela na guerra entre blogueiras do meu móvel de madeira.
Aí ela achou pouco só escrever pedindo e resolveu cantar pra você!

Agora me diz não é doidinha? Vi pela web cam os bastidores da produção e ri litros!
Agora o pedido: vota aqui na cadeira dela! Depois dessa atuação e de um show particular desses ela merece né? Sem contar que a cadeira ficou um luxo de linda (quero pra mim mãe! mimdá?)

Pra votar na cadeira linda da minha mãe fofa aqui
Pra saber mais olha o post sobre a guerra aqui
E parafraseando ela: “Se tu votar terá meu amor eterno!”

© 2014 asperipeciasdeeva.com.br Suffusion theme by Sayontan Sinha