Eu já quis MUITO ser bióloga! MUITO!

Era meu projeto de vida por toda adolescência: passar no vestibular, fazer biologia e me especializar em zoologia marinha!
Era tudo perfeito nos meus planos, até eu fugir de casa pra viver com Eder.
Porque paralelo a esse sonho havia o sonho de ter um família e me dedicar a ela.
Só que eu queria ser pesquisadora, ficar meses no meio do mato pesquisando e tal e isso (ao meu ver naquela época) não ia dar muito certo se eu queria ter uma família e me dedicar a ela. E eu abri mão de ser bióloga para ser mãe!
Eu sou super realizada com meu trabalho, mas ainda hoje quando vejo um biólogo em campo meu coração palpita!

Mas a vida dá voltas que a gente nem imagina e hoje um dos trabalhos de Eder é acompanhar um biólogo registrando as pesquisas!

E eu apesar de nem sempre poder acompanhar essas aventuras me delicio com as fotos que chegam aqui!

Pra ver mais fotos de Eder

Pra conhecer Igor Matias o biólogo

E beijoca procês!

Vou contar uma historinha pra vocês (ultimamente tô amando – mais – contar histórias)
Um dia eu encontrei esse blog:  assimsim.com.br idealizado pela Cissa Chiarini! E não saí mais de lá!

Comecei a trocar e-mails com a Cissa (que é uma fofa) sobre fotografia. Então me chega um e-mail com um título assim: “Um desafio para você”

E era um desafio mesmo! Produzir 6 fotos em um dia (naquele dia) para ilustrar frases sobre empreendedorismo. E lógico eu topei sem nem penstanejar!

E gente, vou deixar minha modéstia de lado e encarnar a @margaretss. Ficou LINDOOOO!

Clica aqui pra ler o texto da Cissa e ver toda a série de fotos lá no blog da Tanlup.]

Mas voltando pra história, depois das fotos prontas lá fui eu fazer a edição e inserir as frases.

Quando eu tô fazendo a primeira imagem, essa aí que ilustra o post, Isadora chega por trás de mim, lê em voz alta e completa:

“Mãe, que lindo! você precisa postar isso lá na La Pomme, porque vê (e ai falou a frase de novo com olhinhos arregalados e mãozinhas gesticulantes): Faça sempre o que você ama com todo o coração! Tudo que você, VOCÊ, não outra pessoa, entendeu mãe? é o que você ama!”

E eu fiquei feito boba olhando pra ela me dizendo porque tinha adorado a frase e me sentindo feliz por estar vivendo aquele momentinho singelo!

Obrigada Cissa, por me trazer de presente a oportunidade de ilustrar suas frases!

Ah! a Cissa faz tudo o que ama com todo o coração dela lá no Ateliê cupcake hortelã vai lá ver quanta coisa linda!

23


22


21


19


15


14


10

09

Fotografia: Eva Caroline

… do trabalho

… de mercado

Fotografia: Eva Caroline

Mercado São José – Recife/PE

Hoje vou falar de um assunto bem chatinho, mas que eu precisava falar aqui, porque apesar de estar se tornando um hábito comum, não é uma atitude correta!

Autoria, crédito, fonte…

Dar o crédito ao criador de algo não é favor ou pagamento. É obrigação!
Muitas mídias e meios de comunicação já tentaram usar crédito como pagamento à fotógrafos por publicaram suas imagens. Os fotógrafos que passarem por aqui vão entender muito bem do que estou falando. Mas crédito é direito, quem utiliza uma obra autoral e não dá os créditos está infringindo as leis de direito autoral, assim como quem utiliza a imagem de alguém sem autorização infringe as leis de direito de imagem.

Mas eu não estou aqui pra falar de lei, queria falar de bom senso.

Eu vejo muito blogs sobre decoração, e muitas vezes termino vendo muita coisa parecida por aí. Mas até aí não há problemas, cada pessoa escolhe como prefere levar seu blog adiante, há quem produza apenas o texto a partir de imagens feitas por outra pessoa, há quem produz as fotos e texto, há quem mescla uma coisa com a outra e por aí vai. Quem bloga sobre imagens ou ideias que pesquisam pela internet, livros, revistas… correm o risco de não te um conteúdo imagético  tão original. Como disse isso não é um problema. E muitos blogs conseguem fazer isso de forma magestosa.

O problema começa quando a autoria do que se posta não é respeitada. Quando utilizamos o trabalho feito por alguém para construir o nosso trabalho e cometemos duas falhas:
1 – Não consultar o autor sobre a possibilidade de utilização.
2 – Não citar a autoria.

A partir daí muitas indagações podem surgir e dentre elas:

“Mas se eu citei a autoria, porque teria que pedir autorização?”
Porque ninguém produz nada sem um intenção (mesmo que não tenha total consciência dela). E a sua intenção não é de total conhecimento de quem se “apropria”. Por exemplo a pessoa/empresa/entidade pode não querer sua imagem associada ao conteúdo do seu blog. Ou simplesmente tem um blog e não quer ter o seu material publicado em outros lugares.
Mas esse é só um dos tantos motivos que alguém pode ter para não querer que utilizem suas imagens/textos
Vamos pensar hipotéticamente que alguém produz todo conteudo textual e imagético para ter um blog original, onde não é mais um postando aquela mesma imagem que já vimos num site estrangeiro.
Então, independente do que a lei diz, é de bom tom, entrar em contato com a pessoa e pedir autorização para utilizar seja um texto, uma fotografia, uma ilustração ou qualquer obra intelectual.
Eu particularmente não tenho problemas com utilizarem qualquer material do blog, contanto que citem (e linquem) a fonte e não alterem a inteção original. Mas eu gosto muito de saber quando algo que eu produzi foi utilizado. Porque? Ah! gente sem nenhuma demagogia, isso faz bem pro nosso ego! Saber que alguém gostou de algo que fiz a ponto de postar faz muito bem pro ego!
O que eu faço quando não concordo com a utilização que fazem de algo produzido por mim é entrar em contato, explicar os motivos e solicitar a remoção.

Agora falar dos créditos.

Gente! vamos partir de um raciocínio lógico. Quem gostaria de produzir algo e ver isso em outro lugar sem que fosse dito que foi feito por você? Mesmo que quem utilizou deixou claro que não foi ele que produziu e em algum lugar tenha escrito: “A/o imagem/texto não foi feito por mim/nós, foi retirado da internet”

Nem vou abordar aqui as pessoas que utilizam produção de outras como sendo suas, acho que isso foge de qualquer discussão sobre bom senso. Porque isso é não é questão de bom senso, é questão de caráter e idoneidade.

Na maioria dos casos pessoa não tem a menor intenção de prejudicar ou levar vantagem em cima de alguém. Mas a questão não é essa.
A questão é: Alguém produziu. Se outro desejar utilizar essa produção, por qualquer motivo que seja, tem dever moral (além de legal) de citar o autor. É gentil, é etico e dá mais credibilidade ao conteúdo em que está inserido.
Então vamos pensar um pouquinho sobre isso, pode parecer bobagem, mas como comecei escrevendo se coloque na posição contraria e imagine como se sentiria a respeito.
Essa é uma prática comum, todo mundo faz, mas isso não a torna legítima e legal.
Também sei que as vezes quando salvamos muitas imagens é difícil depois saber qual a fonte. Uma boa dica é salvar com o nome do site/autor na frente ou atrás do nome que você dará ao arquivo. Se for um site/autor que você utiliza muito, também pode criar uma pastinha.

Tudo isso que eu escrevi até agora foi pensando muito mais em blogs mantidos por hobby e sem fins lucrátivos, onde acho que o que deve imperar é a cordialidade e foi por isso que foquei no bom senso e não no que prevê a nossa constituição.

Mas o universo dos blogs é versátil e eles são utilizados para os mais diversos fins.
Alguns são criados com fins lucrativos, outros como vitrines para empresas, outros para difundir ideias, como portfolio e por aí vai.
Uma vez aconteceu um episódio que me pôs a pensar sobre blogs com fins lucrativos, seja ele direto ou indireto,  principal ou secundário.

Eencontrei uma imagem minha em um blog super conhecido, que tem nitidamente um intenção comercial. O crédito foi dado e tinha link para o meu blog. Até então tudo certo (apesar da pessoa não me pedir autorização para utilizar). Essa imagem eu tinha produzido para um fim específico. Perdi um dia para produzí-la porque queria utilizar luz natural, e queria a luz no horário certo, precisei preparar um cenário específico. Além disso tinha uma pessoa na cena (aí a gente já entra no direito de imagem), enfim não era simplesmente uma foto que eu cheguei na minha mesinha de cabeceira arrumadinha e  cliquei. Enfim, isso não importa no direito autoral, mas é importante pra minha linha de reciocínio e logo vocês entenderão.
Continuando, a foto tava lá, mas eu não me incomodei. Lá ela ficou (sem minha autorização ou remuneração).
Mas semanas depois eu entrei em contato com blog para uma proposta que beneficiária tanto o blog quanto a mim e a resposta que tive é que para isso eu teria que pagar. Não era simplesmente algo que não interessava ao blog, era algo que eu teria que pagar para acontecer porque era pra isso que o blog existia pra gerar renda para o dono dele. E foi inevitável que eu pensasse: Tenho que pagar pelo seu trabalho mas você não pelo meu?”

Resumo a pessoa se utiliza do trabalho dos outros para manter seu blog com conteúdo diversificado, atrair público e consequentemente ser rentável. Tudo bem, a pessoa também perde tempo, com pesquisa, escrevendo textos e formulando seus posts, é de total direito dela ganhar com isso se assim desejar. Mas e as pessoas que produziram o material utilizados por ela ganham o que? crédito? Crédito é direito (comecei o post falando isso não foi?)
Eu sou fotógrafa, ganho a vida produzindo imagens. A foto produzida por mim e encenada pela modelo foi utilizada sem que nenhuma das partes tenham sido consultadas ou remuneradas.
Lógico que depois que eu constatei que minha foto estava sendo usada para gerar lucro apenas para terceiros, pedi a remoção e foi de pronto atendida.
Pode parecer exagero, mas é fato, a minha fotografia, assim como a de muitos outros estão sendo sim utilizadas para que o dono do blog ganhe dinheiro. E isso não me parece correto, não a menos que o autor concorde com sua publicação e saiba que ela serve para gerar lucro.
E nesse caso a utilização de propriedade intelectual está sendo feita para fins comerciais e sendo assim as leis são o que devem imperar.
E isso não é algo que aconteça com pouca frequência não, não é algo também que seja praticado por blogueiros que querem ganhar dinheiro com seus blogs. Muitas empresas que utilizam blogs (não vou sair da esfera blogsfera…) como meio de divulgação de suas ideias, produtos e serviços cometem a mesma falha de não pedir autorização, não remunerar o autor e muitas vezes nem dão os créditos.

E não importa se o que você produziu lhe custou ou não tempo, lhe custou ou não dinheiro. Não imporat se foi ou não fácil de fazer. Você produziu e cabe a você decidir, onde, como e se será publicado, se você será ou não remunerado por isso. Mas lembre-se que crédito nãe é negociável, é um direito seu.

Vamos pensar sobre isso!

Desculpem o texto ENORME, mas eu precisava falar! Agora me digam vocês, já pensaram nisso? o que acham?


P.s. Tem um site bem legal (se usado com responsabilidade…rs) o http://weheartit.com/ . Porque ele é legal? porque quando você armazena imagens nele, ele preserva o link de onde a imagem foi retirada e com isso você nnao se perde onde achou aquela imagen linda que você viu!! vai lá dar uma espiadia!

… e a papelaria

Isadora é uma menina meio… digamos… diferente.
Ela não gosta de rosa, não tem aversão, mas também não morre de amores. Ela é de fases com as cores, ultimamente está numa fase verde!

Mas a frase qua não sai da minha cabeça, foi quando Isa pediu pra perguntar a ela qual a cor predileta dela e ela respondeu: o arco-íris.

E foi nisso que focamos pra fazer as coisas do aniversário dela: CORES

Então joguei o tema pra Isa e deixei ela fazer o que faz melhor. Sentimos necessidade de um ícone pra amarrar e colocamos então o catavento!

o convite

o convite

plquinha

a caixinha dos doces e plaquinhas decorativas

embal

embla

embalagem para guloseimas

tag identificacao

cone para pipoca e plaquinhas de identificação

caixa

tag

tag e embalagem para lembrancinhas

O resultado ficou do jeitinho que pensamos :D

Fotos: Igor Matias, Eva Caroline
Design: Isabela Mascarenhas
Execução: La Pomme

… aqui de casa!

Primeiro chegou Nina! nossa Labrador linda, obediente, calma e fooooofa!

Depois chegou Net, presente de uma cliente que trouxe para fazer fotos com ele! Net, segundo Isadora, é abreviação de Internet.

E como se não bastasse Isadora ganhou de presente de aniversário de uma amiga a dona Zoiúda! Uma Hamster muito assustadinha.

Nós sempre somos meio relutantes em ter bichinhos, porque pensamos que se o temos, precisamos cuidar deles com carinho e cuidado e muitas vezes na correria do dia a dia terminamos falhando. Mas é inevitável, Isadora ama bichinhos (e bichões também). Mas aí que terminamos unindo o útil ao agradável e os bichinho nos ajudam a trabalhar com Isadora noções de responsabilidade! É de responsabilidade dela os cuidados com eles, água, comida é tarefa dela!

E ela ama muito tudo isso :D

© 2014 asperipeciasdeeva.com.br Suffusion theme by Sayontan Sinha