OMG!!!!!!
Minha bebê, cadê essa menininha que cabia em duas mãos?
Quando foi que ela se tornou essa moça tão linda? Foi o tempo de um suspiro…


Pois é, o tempo voa e quando a gente menos espera a filha que antes dependia de você para tudo, agora é sua colega de trabalho!
Tava remexendo umas fotos antigas pro editorial de dia das mães da La Pomme e revivi tantas histórias incríveis que vivemos nesses 13 anos de Doricas. 3 estados, 5 cidades e um amor gigante dentro do peito.

Aliás reviver e criar memórias preciosas é a proposta da La Pomme para o dia das mães!

E sobre ser colega de trabalho. Sim! Dorica pediu pra trabalhar na La Pomme e está ajudando na preparação dos layout.
Além disso, encaramos um projeto juntas que me deixou contente e orgulhosa. Ela desenhou sua primeira estampa para loja: Unicórnio Encantado e nós preparamos um editorial bem bacana, com fotos do universo mágico dessa minha menina.
No link tem 25 curiosidades sobre ela e as fotos.


Vai encher meu coração de alegria se passar para uma visitinha e me contar o que achou!

Beijoca!
Evinha

Mais uma tentativa de retorno com direito à reflexão e desabafo.

Volto 3 anos no tempo, moro num lugar ao qual me sinto pertencente. Lugar que transformei em lar. Onde vi minha filha crescer, aprender a ler e a criar laços…
Tinha um jadim delicioso, onde eu me sentia plena. Mas apesar disso tudo eu sabia que aquele não era o meu lugar e sentia que era hora de buscar o que era meu.

Passamos um ano procurando um nova casa em uma nova cidade e estado.
Um ano de muito sentimento misturado, dúvidas, esperanças, incertezas… Momentos de exaustão, medo de não conseguir, mas ao mesmo tempo uma certeza absurda que que ia rolar, de que a gente ia encontrar o que a gente tava procurando. A gente precisava de um milagre.

E assim foi.
Dia 5 de julho de 2013 eu entrava pela primeira vez na minha casa. A minha! Aquela que eu não precisaria pedir autorização pra fazer uma jardim ou pra quebrar uma parede.
Alguém consegue imaginar a alegria que eu, Eder e Doricas vivíamos naquele momento?
Como eu ia decorar e transforma minha casa nova num lar, que me representasse, em que eu me sentisse bem, em que eu me sentisse pertencente? Como seriam os próximos dias, meses, anos?

Eu prometi ir mostrando as transformações aqui não foi? Prometi mostrar a casa e mostrar à medida que um lar fosse nascendo.
Isso aconteceu pouco, bem pouco mesmo… A verdade é que eu fui permitindo que essa alegria fosse morrendo. Eu fui me conformando e de repente eu me vi triste com a minha casa.
Quando mudamos eu, sem querer, criei uma regra. A regra de que eu não podia gastar dinheiro com decoração naquele momento e que também não tinha tempo.
Eu alimentei essa regra e mesmo que tivesse mexido aqui e alí e feito muitas tentantivas, mesmo que tivesse tentando fazer alguma coisa, a danada da regra de que eu não podia gastar dinheiro com a decoração da casa deu força à regra de que eu só poderia decorar a casa quando sobrasse dinheiro.
Ora bola, quantas vezes eu arrumei cantinhos deliciosos com criatividade e com o que eu já tinha em casa? Porque agora que eu realmente precisava fazer dessa forma tinha que ser diferente, porque agora era um empecilho?

Mas foi assim que foi.
Eu fiquei triste porque não tinha mais um jardim lindo pra cuidar, pra relaxar.
E porque eu não tinha disponível a grana suficiente pra construir um rápido, eu também não me permiti ir construindo um aos poucos.
Porque eu acreditei que não tinha grana pra realizar as mudanças que eu gostaria, eu deixei de realizar as mudanças que eu poderia.

Num determinado dia eu me percebi dizendo que não gostava daqui. Foi doído perceber isso, foi sim.
Mas a parte boa foi que eu percebi que eu poderia mudar isso, eu percebi que eu estava olhando só o que eu não tinha, que eu estava me conectando com a escassez e por isso não enxergava a abundância e o que eu já tinha.

Eu tinha latas de tinta e corante guardados
Eu tinha móveis, estragando na chuva…
Eu tinha paredes vazias na sala e quadros estragando entulhados no “quartinho da bagunça”
Eu tinha janelas precisando de cortinas e tecidos guardados mofando.
Eu tinha caixas para sapato guardadas acumulando poeira e sapatos soltos embaixo da cama.

Eu aprendi que eu precisava me reconectar, olhar para o que eu queria e não para o que eu não queria. Colocar energia no que eu eu quero, porque o que cresce é aquilo em que eu coloco energia e atenção. Se eu voltar minha atenção para o que eu não quero, adivinha o que vai crescer?

Bom… Uns meses depois
AINDA não tenho a entrada dos meus sonhos, mas tenho móvel turquesa me recebendo com alegria e me lembrando de que eu posso.
Quando eu abro a porta de casa a primeira coisa que vejo é uma parede INCRÍVEL, me lembrando que eu posso porque eu acredito.
E quando eu sento pra trabalhar, tem uma cortina, LINDA que eu estampei com carimbo, que costurei e que me deu uma satisfação enorme de fazer, de ver ficar pronta, principalmente por ter envolvido todos aqui em casa. Ela é o meu lembrete de que se eu acreditar, eu posso voar.

Eu ainda não tenho um jardim dos sonhos, é verdade. Mas é no meu quintal tem um pé de caju, alguns de mamão. Um de acerola e um de pitanga (esses ainda não dão, mas um dia darão). Tem um muro horríveeeeel, que está ganhando vida enquanto uma trepadeira LINDA cresce abundantemente e cobre de verde e lilás a feiura do muro.
E eu tenho tempo pra cultivar no meu quintal o que eu quiser, aos poucos, com calma, com o que está disponível no presente e aguardando o que anda ainda não está disponível, mas que virá.
E cada vez que eu faço uma almofada nova, ou penduro um quadrinho o prazer e a alegria de ter um lugar pra chamar de meu, só aumenta.

O curioso é que eu percebi isso tudo, quando comecei a fazer um treinamento para crescer o meu negócio.
Foi ouvindo Simone Mitjans (minha mentora de sucesso, olha que máximo!) que eu fui olhando pra dentro de mim, me conhecendo e percebendo como a gente cria regras que só nos atrapalham e que muitas vezes nem nos damos conta disso.
Eu estou aprendendo a dizer sim a mim mesma e a me apaixonar por mim e por minhas potencialidades.
Se quiser saber mais sobre isso, pode me perguntar que eu terei uma alegria imensa em te apresentar a Simone. (É só deixar nos comentário)

E eu estou me comprometendo a voltar aqui mais vezes para falar de mais mudanças que ando realizando por aqui (inclusive trazer coisas que fiz e nem mostrei antes).
Não sei ainda qual será a frequência, mas eu volto logo. Promento!

Um beijo cheio de carinho e saudade!

Evinha

ANTES

DEPOIS

O bloguinho tá paradinho, mas é por vários bons motivos. Tô focada no meu quarto! É gente, ele vai sair, finalmente! E tá ficando como eu quero! Na verdade já tá praticamente pronto! Mas eu sou má e vou mostrando aos poucos! E conto também o que me ajudou a resolver os problemas com o quarto!

Só sei que agora estou curtindo muito ele!

Hoje eu vim mostrar uma a cadeira que fiz pra ele (na qual estou sentada nesse exato momento). Muito fácil e barato de fazer, mas com um resultado super legal

Eu não sou muito boa com PAPs não. Então não vai ter PAP. Mas não fica triste a Flávia conta tim tim por tim tim nesse vídeo.

Eu gastei em torno de R$ 20,00 reais e o tempo de um filme (enquanto *assistia* fazia)
Na verdade eu não gastei nada porque já tinha o tecido, a cola e os pinceis. Mas essa é a estimativa!

Me conta gostou? Então curte aí!? beijocas!

… com moldura + cortiça + miniaturas!!!

Tá, não precisa ser uma moldura velha, eu desmontei um quadro que tava enconstado pra usar a moldura!

Muito, muito fácil de fazer.

Ferramentas:



- Fita de silicone dupla face ou preguinhos e martelo
- Nível
- Régua
- Estilete
- Tinta Spray
- Cortiça

É só medir e cortar a cortiça no tamanho interno da moldura. Pregar na parede com a fita dupla face ou preguinhos (antes de pregar usar o nível para não ficar torto)

Depois é só pendurar a moldura depois de pintada e seca e encher de miniaturas fofas!

Tá! Tudo bem que esses bichinhos não ficaram aí por muito tempo, né Dona Isadora?

E então? tão gostando das soluções pro quarto?!

Logo teremos mais!

beijocas

… para Doricas!
.

Enquanto nada relacionado à nossa moradia se define, vamos nos virando por aqui mesmo, nesse quartinho apertadinho… rs
Dia desses A minha gata reclamou que não tinha onde fazer a tarefa porque peguei a mesa de estudo dela (é aquela branca que pintei) pra acomodar uma máquina. Tá! tudo bem que nunca vi dona mocinha sentada comportadamente numa mesa fazendo sua lição, ela usa todos os lugares: chão do quarto, minha cama, cama dela, mesa da cozinha, chão do terraço, cadeira, banco. Tudo menos a mesa de estudos. Acontece que percebi que essa reclamação foi mais uma necessidade dela de sentir que tem um canto só dela. Serviu pra me dar um “saculejo”, tipo: Mãe, você optou por isso? que culpa eu tenho?
E parti pra tentar deixar o espacinho da baixinha, mais habitável e menos caótico.
Iamos comprar um quarto completo pra ela, porque não tá sobrando tempo pra fazer minhas invenções, mas pensamos bem e vimos que era bobagem, uma vez que tem muita coisa por se definir.
Então tive que arrumar o tal tempo (a gente sempre arruma né?).
Saí andando pelos cômodos da casa, em busca de materia prima…
Catei um banco alto par usar como pé. Mas e o tampo da mesa?
Até que em meio ao monte de entulho que estava prestes a ir pro lixo eu achei um quadrado de MDF.
Pronto a fome e a vontade de comer.
- Pintei o banco e o tampo de branco (como pintar móveis aqui)
- Prendi o tampo no banco com 3 pregos e não centralizei o banco, prendi deslocado, assim ela não vai ficar batendo o joelho quando sentar.
- Forrei o tampo com tecido. Para colar usei cola branca Cascorez rótulo azul
- Depois de seco impermeabilizei com tinta spray, assim fica fácil de limpar e não acumula poeira.
- Preguei uma tábua (já pintada) na trava do banco e serviu como prateleira para guardar os gibis dela

Minha gata ficou feliz, com a mesa e com a arrumada que dei no quarto dela!
É uma mesa pequena, mas atendeu super bem.

Banco e gaiolinha de passarinho- Tok & Stok
Almofada, prateleira, porta-revista e porta treco – Feitos em casa
Abajur – La Pomme
Globo inflável – Atacadão do presentes.
E aí, dá pra fazer fácil fácil né?

Para repaginar um ambiente nem sempre é necessário mover céus e terra e gastar horrores, se desfazer de móveis e trocá-los por outros.
O móvel não casa mais com a sua decoração? Ou está com uma aparência não muito agradável?
Seja qual for o motivo, antes de se desafazer, pense nas várias possibilidades que existem pra reformar ou transformar. Lembre-se que assim você economiza, gera menos lixo (mesmo que fosse doar) e ainda freia a tendência mundial de consumo desnecessário.
A minha opção é sempre por pintá-los ou revestí-los com tecido ou papel.
……………………………..
Com as mudanças necessárias que tivemos que fazer para acomodar a família de 3, que somos, em dois cômodos (quem tá chegando por aqui agora, acompanha a estória aqui), precisava de uma mesa de estudo para Dona Doricas (a filhota). A mesa que ficou disponível se encaixava perfeitamente nas dimensões do quarto dela, exceto pela cor – madeira envernizada. Então, decidi começar a fazer já, algo que pretendo fazer em praticamente todos os meus móveis de madeira quando minha casita nova estiver pronta: Pintar de branco. Poderia ser qualquer cor, porém a escolha do branco tem um papel decisivo, pois adoro cor e vou morar numa casa que não será muito grande. O branco deixará os ambientes mais leves e eu poderei usar e abusar das cores através das paredes e objetos!
Mas vamos ao que interessa: O Tal antes e depois da mesa!

Como a maioria das coisas aqui em casa, decidi eu mesma fazer e a transformação, o que barateou ainda mais a transformação. Mas, ainda que fosse contratado um profissional, sairia mais econômico que comprar outro móvel.
Como eu prometi em algum post anterior, fiz a listia do que você precisa e onde irá encontrar os itens para montar o ambiente.
- Mesa – comprada em casa de usados (não me lembro mais onde, faz muito tempo)
- Pranchetas – livraria
- Pintura – by Dona Dorica
- Moldura do quadrinho branco – vidraçaria da esquina
- Cadeira – tok & stok
- Compartimento para livros (azul) – gaveta de um gaveteiro de plástico comprado no extra
E o PAP de pintura de móveis a seguir:
O primeiro passo para pintar um móvel é definir cor, acabamento e o tipo tinta.
Como já disse minha opção é sempre os acabamentos foscos e acetinados e tenho uma predileção pela linha Coralit da Coral, já gostava quando era tinta esmalte comum e agora que foi lançada a Coralit a base d’água, sem cheiro, amo mais ainda (Tô fazendo propaganda de graça porque eu sou assim, o que eu gosto eu falo e o que eu não gosto eu falo também). Gosto pelo acabamento, pela facilidade de uso e pela durabilidade e resistência. Mas existem outros tantos tipos de tinta. Na loja o vendedor pode te mostrar os produtos disponíveis e aconselhar qual é a mais indicada caso a caso.
Depois de escolhido cor e tipo de tinta, é necessário preparar a madeira removendo todo o acabamento que existe nele. Se for verniz é preciso lixar para remover todo o verniz. Acreditem, essa parte é dolorosa. Eu tenho lixadeira, mas os pés da mesa tiveram que ser lixados na mão, e não adiantou eu fazer carinha de cachorro que caiu do caminhão de mudança que o marido não veio ajudar nessa parte nem a pau… marido mau. E outra coisa é o pó que não se acaba mais, muito, muito mesmo.
Se o acabamento for cera, complica (acho). Eu nunca fiz, mas instruções do marido que foi marceneiro por 10 anos: Removedor de cera, ou água quente com agua sanitária, deixa secar bem e depois lixa.
Depois disso passar uma mão de selante para madeira (o selante tem que ser compatível com a tinta). Ele vai impedir que a madeira manche a tinta.
Aguarde o tempo de secagem e passe uma lixa fina (No. 180).
Aplique a primeira demão (use rolinho ao invés de pincel – pincel só nos cantinhos), aguarde o tempo de secagem, lixe novamente. A cada demão uma lixada e a cada lixada use uma lixa mais fina. Isso irá garantir um acabamento mais uniforme e uma pintura bem lisinha. (Eu comecei com uma lixa 60 – para remover o verniz e terminei com uma 600 na última demão de tinta). Pronto! Um móvel renovado!
O que é importante de observar: 
- Respeite os tempos e instruções fornecidos pelo fabricante.
- Não pule etapas para ganhar tempo: se não remover o acabamento anterior e preparar a madeira a tinta não vai aderir e vai descascar fácil depois, se não lixar entre as demãos a madeira vai “arrepiar” e vai ficar áspero ao toque e não terá uma acabamento uniforme.
- Se não tem prática e o móvel é trabalhoso, melhor contratar um profissional
- Se for em apartamento, esqueça  a menos que você queira remover pó de todos os objetos de toda a casa por pelos próximos 365 dias ( o pó é muito fininho), ou se o seu móvel for lixado em outro local.
- usar óculos (pra evitar que voe coisas nos olhos) e máscara (pra não inalar poeira- lembre-se essa poeira estará carregada de produtos como verniz, tinta, etc…), trabalhar com segurança sempre!
Uma última nota sobre lixas quanto maior o número da lixa, mas fina ela é. E eu opto por trabalhar sempre com lixa de ferro (mesmo sendo em madeira) porque elas tem uma durabilidade maior.
…………………………………….
Essa semana pretendo mostrar o restante do quarto de Isadora e o que fiz pra ganhar mais espaço nele!

Estão preparadas pra ver no que isso se transformou? Tirem as crianças da sala porque as cenas a seguir são chocantes.

Pra quem não acompanhou e quer entender tem que ler esse “textão” aqui.
O fim de semana foi curto pra fazer tudo que ainda é necessário.
Na madrugada de sábado bateu um desanimo, uma vontade de voltar com tudo e esperar a casa definitiva sair, mas ainda bem que era de madrugada e não tinha ninguém que pudesse me ajudar com isso, assim depois de uma noite de sono as coisas estavam mais tranquilas.

Na sexta feira terminou de chegar tudo do ateliê (ainda tem coisas e móveis de escritório pra trazer) e eu fiquei até 2 da manhã organizando.
10:00 da noite as coisas estavam assim:

clique pra ampliar – fiz um 360o. pra vocês terem uma noção.
Meia-noite estava assim:
Resolvi tirar tuuuuuudo que já estavam dentro de gavetas, armários, cestinhas… e reorganizar.
O maior dilema foi querer  terminar de organizar e já está tudo supermegalindo – missão impossível.
Desencanei de ter um ateliê lindo nesse momento, para ter um funcional! E quando decidi isso consegui parte do meu intento.
Então, 2:30 da manhã de sábado ele estava assim:
Essa parte do lado direito, to achando horrível, acho que vou procurar um tecido bacaninha e fazer uma cortina (fiz uma montagem pra ver como ficaria)
Minha mesa! Esse foi dos poucos lugares que eu gostei, não está lindinho ainda, mas eu gostei, ficou bom pra trabalhar. É aqui que passarei grande parte do dia e da noite!
Agora alguns detalhes!
Minha estantinha multi-uso (como eu gosto de uma diminutivo), com destaque para as minhas latinhas de suco (tanjal, lanjal e maracujal). Adoro elas porque quando as vejo só tenho lembranças boas, lembro da infância. Além disso acho elas simples e lindas, sem contar que o suco é delicioso e as latas não enferrujam fácil como as de leite em em pó.
Aproveitei as bases de ferro que era da estante de quando o quarto ainda era de Isadora (quanta história heim) e coloquei os suportes de prateleiras com cabos de mini vassouras pra servir de suporte para minhas fitas adesivas, fitas comuns e viés.
Essas duas fotos são de outro espaço que gostei. Ficam logo acima da minha mesa e dispõem meus livros prediletos sobre arte e imagem e a minha mini (suuuuper mini) coleção de câmeras (o espaço vazio à direita é onde a minha câmera fica!). O que me agradou nesse espaço foi o fato dos livros ficarem perto para uma consulta.
E como eu não sou de ferro, sou de carne osso e fofurices, tinha que ter alguns espacinho com algo que desse mais alegria ai meu cantinho.
Tô falando desse varalzinho para pendurar recadinhos, lembretes foto e até o pen-drive.
A saga continua. A semana vai ser daquelas!
Mas olha minha carinha :D .

…tudo fica mais feliz!
Lembram desse post aqui? e desse?
Fiz uma casadinha com os dois!

Depois que fiz o mural e encaixei no lugar, achei que essa estampa vermelha e lilás ficou um pouco carregada, acho que ficaria melhor se a porta fosse branca e não branco gelo, que na minha concepção, não é branco, é cinza e parece sujo. Mas isso agora não vem ao caso.
Mesmo assim fui em frente e achei que no fim terminou ficando legal, alegre e colorido! (mas ainda preferia que a porta fosse branca de verdade)

O que eu usei pra fazer as mudanças:
- 2 folhas de isopor
- 3 potes de vidro (reutilizados)
- Base de vidro (que deveria ser no tamanho da mesa, mas usei uma que já tinha aqui)
o vidro não pode ser muito fininho pra não quebrar tem que ser de pelo menos 6mm
- Tecido
- Papel de scrapbook
- Folhas de revista
- Cartolina

Pra fazer o mural de recados, forrei duas placas de isopor (no tamanho da area vasada da porta) e forrei com o tecido e encaixei no lugar.

Pra fazer o coloridinho da mesa cortei uma cartolina no tamanho do vidro e fiz uma espécie de patchwork com papel de scrapbook e uns passarinhos que a minha designer predileta desenhou pro quarto de Isadora. Deixei umas areas claras em volta das áreas coloridos pra dar mais leveza, já que a mesa é escura. Depois só coloquei o vidro em cima! Isso é legal porque toda vez que enjoar pode trocar! Já mostrei isso aqui.

Isso aqui foi moleza! Estava achando o visual pesado, como falei lá em cima,  e precisava quebrar um pouco o escuro da mesa (já que o vidro era pequeno e não cobria toda a mesa então eu procurei por imagens claras e alegres, não tinha mais nenhum papel nas cores que queria. Aí procurando o tal papel achei uma revista de arte que tem umas imagens legais e as folhas tem um papael mais encorpado, comecei a procurar e tinha uma reportagem sobre Peixonauta, desenho que Isadora ama! Então escolhi uma tirinha com storyboard do desenho, preto e branca bem clarinha como eu queria (pote da esquerda) e uma com a primeira versão do personagem (pote da direita) e achei também uma imagem que adorei e era clara, porém colorida como eu queria (pote do meio). Recortei no tamanho do pote e encaixei dentro. PRONTO!
Potes de palmito ficam perfeitos para isso

 Fotos: Eva Caroline
Isadora adorou e eu também!
Mais um cantinho gostosinho na minha casinha temporária!
…………………………………………………………………
E agora eu vivo aqui só sonhando!

… e do marido e da filha!
Por aí vocês imaginam como isso não deve ficar né? Ele foi até apelidado carinhosamente de: Moquifo. E não é pra menos porque é nesse cantinho [que é beeem cantinho] que eu faço todas as minhas invenções, minhas postagens, que trabalho quando sobra tarefa pra casa e dona Isadora também.
Mas eu já estava ficando desesperada com tanta bagunça, era difícil manter as coisas no lugar, a mesa estava sempre cheia de brinquedo, papel, lapis… T E R R Í V E L.
Decidi dar um basta!
Mas a missão não era assim tão fácil
Esse comodo é bem difìcil de acomodar os móveis porque só tem uma parede livre, janelas enoooormes, que amo, mas que abrem pra dentro e “comem” um espaço enorme, nas outras duas paredes portas que vão quase de um lado a outro.
O outro fator era: falta de móveis adequados como um armário ou estante pra guardas certas coisas. além de excesso de coisas que só atrapalhavam
Completando a epopéia tinha que conseguir fazer tudo isso sem gastar um centavo sequer.
Então: 
Atenção, 
Concentração, 
Vai começar, 
Já começou, 
A palavra é:
O R G A N I Z A R
ANTES
(porque eu sou humana, tenho bagunça em casa sim…)
DEPOIS 
(clique na imagem pra ampliar)
Saí pela casa atrás de coisa que poderia utilizar. Roubei essa prateleira branca da cozinha que fiz pra colocar minhas canecas que amo e coloquei aí pra colocar as coisinhas miudas! (depois mostro o esqeminha de fazer a estante tá? podem cobrar)
Agora uma parte que não é mais o antes e ainda não é o depois:

A minhas mesa (a de lá de cima) é nada mais nada menos que uma porta sobre dois cavaletes, como ela é meio grande eu dividia com Dona Dora, mas sinceramente não dá, duas espaçosas juntas não rola. Então peguei essa mesa que já foi da cozinha pra fazer um cantinho para ela. Mas achei ainda meio sem graça, precisa de um colorido, então já estou providenciando!

Isadora ama ler, e os livros dela tem qjue estar sempre a mão, arrumei essa solução mas não gostei, por enquanto vai ficar assim…

Gostei do resultado geral, a colocação das mesas na lateral do quarto ampliou o espaço, melhorou a circulação e ficou mais leve. Gostaria de não ter coisas embaixo das mesas como caixas organizadoras com os tecidos e papeis, mas por enquanto foi o que deu!

Foto: Eva Caroline

Bom, consegui cumprir a primeira etapa da missão, esse fim de semana partirei pra outra etapa – espaço de Doricas.

Beijos e queijos pra todos!

P.S. Pronto, são 2 da madruga e eu não ia sossegar enqaunto eu não postasse, agora cama que amanhã a mocinha aqui não pode ficar na cama até a hora que quiser.

Lembra do cantinho de trabalho que mencionei no post da mesa repaginada? então: ele começa a ganhar jeito… como tudo na minha casa, não está pronto, porque quando tiver é hora de mudar… rs, mas ja está “aprumado”

(clique na imagem para ampliar)
Uma visão geral:

-Minhas rosas (que não estão florindo :( ) a direita num banquinho de pinos que eu pintei de vermelho e apliquei flores e borboletas, por tras do banco um peça de pinos pintada. Nesse cantinho tem assunto pra mais um post (rs): os vasos das flores…
- A prateleira ainda sem terminar (ainda falta verniz)
- A mesa que mostrei em post anterior e citei no início deste.
- Os gaveteiros das laterais esquerda e direita eu vou por tecido estampado como fiz nos do quarto de Isadora
- Uma cestinhas que estou pensando ainda como dar uma carinha bonita a ela.
- caixas com miçanças, argolas, contas, fitas… (em cima do gaveteiro do lado direito)
Este cantinho é na varanda que eu mostrei no meu primeiro post, fica de frente pra cadeira de cipó. como já falei é um lugar maravilhoso da casa, mas era muito pouco utilizado. Sem querer eu descobri que dava pra fazer esse canto, pq essa mesa estava “sobrando” (nada sobra por aqui, era um estado momentâneo) e até decidir onde colocá-la encostei ela na parede e depois percebi que dava pra fazer um cantinho pra lá de inspirador pra eu fazer minhas artes, cortar, colar, usar o notebook… É bem iluminado, bem ventilado, tem uma boa visão porque vejo meu jardim e piscina…

(clique na imagem para ampliar)

Minha cadeira com fitas: eu estava organizando minhas coisas e tinha uma caixinhas cheia de pontas de fitas, comecei a tentar organizá-las, fiz uma trouxinha e achei que iria dar um penduricalho legal, não é que deu?? rs…

-Potinhos porta trecos feitos com potes de molho de tomate
- caixas de embalagens comuns, forradas com papel de presente
- lixeira forrada com imagens de revistas
- cestinha com caderninhos, bloquinhos de anotações, celular. Eu amo cadernos, cadernetas, tenho que me segurar pra não sair comprando… rs

Beijocas pra todas!
AH: ontem minha mãe me disse que sentiu falta de mim pra organizar uma prateleira nova na casa dela. Ela disse: ah! eu vejo umas caixinhas, umas coisa que tu arruma que fica tão bonito.
Ai eu expliquie que ela é certinha demais, gosta das coisas muito corretinhas e as vezes ousar dá resultados bons… ouse mãe!!!
KKKKKK
TE AMO VIU!!!!!

© 2014 asperipeciasdeeva.com.br Suffusion theme by Sayontan Sinha