Uma das coisas que eu achei que ia morrer de vontade quando comecei a seguir o estilo de aliementação paleo, era pão e bolo….
Mas olha, nem sinto tanta falta assim… E quando sinto tem opções saudáveis e gostosas pra resolver isso.
Quer uma receitinha sem leite (e se quiser sem lactose), sem farinha de trigo (sem glúten) e saudável?
Olhaí

20141006-195517-71717741.jpg

4 ovos (claras em neve)
1 xícara de farinha de amêndoa peneirada (pra ficar bem fininha)
4 colheres (sopa) bem cheias de manteiga (pra ficar sem lactose use ghee ou 8 colheres de óleo de coco)
1 xícara de farinha de coco (eu faço a minha assim: compro coco, bato no liquidificador, tiro o leite de coco, pego o bagaço e rebato no liquidificador pra ficar bem fininho)
5 colheres (sopa) de cacau em pó
5 colheres (sopa)  de mel
1 ½ xícara de leite de coco (faço caseiro a partir do coco batido no liquidificado com um pouco de água de coco)
1 colher de fermento químico
Castanhas picadas (grande) (opcional)

20141006-195352-71632675.jpg

20141006-195353-71633895.jpg

Bate as claras em neve e reserva.
Mistura todos os ingredientes deixando o fermento por último e depois incorpora as claras em neve. Se quiser adicione castanhas à massa.
Coloque em forminhas de silicone e jogue mais castanhas por cima.

Fica mais molhadinho e delicioso <3

20141006-195350-71630962.jpg

E já que você veio aqui ver minha peripécias na cozinha, dá uma espiada nas minhas peripécias Lapommaníacas.
Produto e estampas novinhos.
Como todo produto da La Pomme, você pode escolher qualquer umas das mais de 200 estampas que estão disponíveis na loja e personalizar do seu jeitinho! Clica aí na imagem que eu te levo até lá

Gostaram? Me contem!

Um beijo!
Evinha

Lembra do pãozinho de linhaça? O acompanhamento perfeito pra ele é um requeijão cremoso que eu faço!
É fácil, olha só:

- Ferva 1 litro de leite
- Quando levantar fervura, jogue o suco de um limão pra coalhar o leite (se não coalhar repita o processo)
- Passe num tecido pra separar o soro da parte solida
- Leve ainda quente ao liquidificador com um pouco de leite e o tempero que você mais gostar
- Tá pronto

Ele não fica lisinho como os industrializados, fica mais poroso, mas te garanto que é muito mais saudável e eu acho mais gostoso.
Se você tiver acesso a um leite de fazenda, de vaca que se alimenta de pasto, melhor ainda!


Você curte meu trabalho com a La Pomme?
Então fica aí pra eu te contar como você pode concorrer à cupons de vale compras no valor de R$ 50,00

desafio-da-ma-a.jpg

E como é isso, Eva?
É fácil, gente, vê só:

A participação

- Postar uma foto onde apareça um produto La Pomme, nem precisa ser o produto na real, vale até tirar foto do computador com o produto na tela…
- A postagem deve ser feita no Facebook, Instagram ou twitter e além da foto deve conter:
* Um depoimento
* Citar a La Pomme em forma de marcação (para que seus amigos e seguidores possam clicar e ir até o nosso perfil)
* Utilizar #desafiodamaçã #euamolapomme (é por elas que vamos encontrar e contabilizar sua foto)
Importante: A foto precisa estar em modo público senão não conseguimos visualizar e contabilizar.
Pode postar quantas fotos quiser em uma ou mais das redes sociais citadas acima.

A premiação:
- A cada 50 postagens será liberado um cupom de R$ 50,00 para efetuar compras na loja.
- A duração do desafio será indeterminada e pode ser encerrada a qualquer instante sem prévio aviso.

A contemplação:
- Não será nem por sorteio, nem por votação. A escolha será feita por nós levando em consideração a criatividade da foto e/ou do depoimento. Então manda ver.

Agora deixa eu ir trabalhar, minha semana vai ser produtiva e feliz e  sua?

Um beijo!

Nunca fui muito fã de arroz, passava sem tranquilo. Só comia com alguns pratos como estrogonofe ou quando o próprio arroz era o prato e eu misturava um monte de delícia.
Até eu descobrir uma receita de arroz de couve flor, que de arroz só tem a aparência.
A couve “pega” sabor com muita facilidade e qualquer tempero, por mais simples que seja, deixa o preparo com um sabor maravilhoooooso.
Viciei e aqui em casa não falta!
É bem simples de fazer:
passa a couve no processador, refoga o tempero de sua preferência, coloca a couve, coloca água o suficiente pra cobrir. Cozinha até ficar macio e escorre.
(No Pitadinha ensina como fazer no microondas)
Esses dias experimentei refogar alho e cebola no azeite de dendê. Olhaaaa, o negócio ficou DELICIOSO!

20140926-102455-37495532.jpg

20140926-102456-37496495.jpg

Virou um dos meus pratos prediletos, nham nham… Já tá na hora do almoço?
Ah! e ainda dá pra congelar e esquentar é super tranquilo porque não gruda na panela como o arroz normal.

Aproveitando que eu tô aqui, deixa eu te mostrar mais um desenho que eu fiz:

Agora olha que linda que ficou aplicada nos produtos:

Um post, duas dicas!
Se você tava procurando o presente perfeito para o dia dos professores, acabou de encontrar!
Peças personalizadas, produzidas manualmente com muito amor!
A ilustração é customizável e ainda tem um kit bem legal com frete grátis pra quem comprar mais de 3!!
Tá esperando o quê? Vai lá na loja garantir o seu (lembre que é personalizado e não pode deixar pra última hora, heim?!)
Vai lá na
La Pomme ver

Um beijo e um final de semana feliz pra todos nós!

20140919-063948-23988437.jpg

Quando a gente mudou pra jampa tinha 2 coisas que eu tinha dificuldade de achar, frutas mais específicas e feira orgânica.
Felizmente os dois foram resolvidos.

Toda sexta acontece um feira  na UFPB e eu simplesmente amo ir lá.
Acordo 5 da manhã feliz da vida e, agora com a paleo, a visita à feirinha é sagrada.

20140919-063949-23989368.jpg

20140919-063952-23992326.jpg

20140919-063947-23987496.jpg

20140919-063945-23985550.jpg

20140919-063946-23986615.jpgEsse limão é o famoso “quem vê cara não vê coração”. Ele é feinho, mas suculento e delicioso.
A tangerina que a gente compra lá é de comer de joelhos.

E não tem só fruta e verdura não. Tem uma barraquinha de produtos naturais e veganos, uma senhora que vende panelas de barro, Cactus lira vendendo suculentas. Tem um pão de macaxeira (aipim) que é uma delícia.

20140919-063950-23990047.jpg
20140920-193712-70632297.jpg

20140919-063953-23993408.jpg

Enfim… É um passeio gostoso, saio de lá leve!

20140920-193713-70633304.jpg

Comprei uma panela de barro e inaugurei fazendo molho de tomate caseiro com bastante majericão.

20140920-193823-70703995.jpg

*Pra fazer o molho eu bato tomate beeeeem maduro (com pele e com sementes), cebola e pimentão e depois levo pro foto pra cozinhar com folhas de manjericão. Na panela de barro o cozimento é bem mais lento.

Beijoca pra você!

Quando eu resolvi tirar açúcar branco, aveia, farinha de trigo e arroz da minha alimentação, fiquei pensando que seria uma alimentação restritiva, que eu ia sentir falta de pão e bolo, mas que eu ia me acostumar já que tinha outras coisas gostosas.
Mas sabe o que eu descobri? Que existe uma enorme variedade de alimentos saudáveis e gostosos e que a gente não “conhece” porque não é popular, porque não faz parte dos costumes e da nossa tradição recente…
Eu tenho descoberto sabores novos, tenho experimentado ingredientes novos ou novas formas de usá-los. Tenho gostado de algumas coisas e de outras não e tenho percebido que de restrito não tem nada.
Me aventurei, baseada em várias receitas que vi por aí, fazer um bolo fofinho.
De primeira saiu um bolo delicioso, macio, fofo, não muito doce.
No primeiro pedaço achamos que precisava de mais doce, mas depois percebemos que mesmo sem doce ele era gostoso, não precisava mais do que tinha alí.

4 ovos
3 col. de sopa de manteiga sem sal ou manteiga ghee ou aleo de coco (os dois últimos pra quem é intolerante à lactose)
1 xícara de farinha de amêndoa (pra fazer é só bater as amêndoas em liquidificador ou processador)
5 col. de sopa (cheia) de coco ralado (ralar em casa é melhor, claro! Mas pode ser de saquinho contato que seja integral sem adição de açúcar.)
3 col. de leite de coco
4 col. de mel (pode acrescentar um pouco mais se achar pouco doce ou substituir por um adoçante natural)
1 col. de sopa (rasa) de fermento químico

Aí é facinho:
Bate as claras em neve (o segredo do bolo fofinho) e reserva.
Mistura todos os ingredientes no liquidificador ou com uma colher/fouet até a massa ficar homogênea. Depois incorpore as claras com cuidado (não pode bater) para não “quebrar”.
Coloque em uma forma untada e polvilhada com coco ralado seco ou farinha de amêndoas (ou numa forma de silicone sem untar).

Uns 30-40 minutos no forno pré aquecido +/- 200 graus


Esse é o resultado!
Louquinha pra testar variações

Ah! colocar em mini forminhas facilita MUITO quando precisamos levar pra viagem ou até pra deixar porções separadinhas.

Beijoca pra você!

20140830-191555-69355215.jpg

Como eu falei, tenho descoberto novos sabores alguns eu ainda estranho.
Esse pão não tem nem de longe o gosto de uma pão francês e leva um tempo pra se acostumar.

Ele é denso, pesado e sacia com um pedaço pequeno.
Recebi a receita junto com outras em e-book da  Primal Brasil

A receita é a seguinte:

Misture 4 ovos, 4 colheres de manteiga derretida e 1 xícara e meia de farinha de linhaça. Aguarde 5 minutos, faça bolas, coloque numa assadeira untada e leve pra assar por 30/40min.
Eu coloquei gergelim no meu e dá pra colocar muitas outras coisas.

Também dá pra colocar numa forma de pão, só que acho que fica mais enjoativo porque o excesso de manteiga não escorre pra assadeira. Quando eu faço assim, gosto de colocar parmesão por cima.
Como esse pão sacia muito, você também pode fazer bolinhas pequenas para porções menores.

20140830-191556-69356257.jpg

O Hamburguer do sanduíche é caseiro também e muito fácil (além de MUITO mais gostoso que os de supermercado). É só temperar a carne moída com tempero do seu gosto, moldar bolinhas e amassar formando discos de carne, congele individualmente. Só isso!

Se fizer me conta o que achou

Um beijo

Evinha

*ATUALIZAÇÃO* – Ju, do Pitadinha, me deu a ideia de experimentar a receita usando a farinha de linhaça dourada porque o sabor é mais suave! Olha, aprovadíssimo :)

20140302-010814.jpg

#doricafaz11
Minha filhota tá ficando mocinha! Olho pra ela e não acredito que tenho uma filha grandona assim. Não faz muito tempo, era eu quem tinha 11, sentada no “play” do prédio, sonhando com o dia que completaria 15.
Mas voltando ao assunto…
Esse ano pensamos em não comemorar o aniversário de Dora por questão de economia. Mas achei que seria super importante pra ela, já que estamos numa cidade nova e uma reunião de amigos em casa seria uma ótima oportunidade de estreitar laços.
Decidido! Doricas ia comemorar o aniversário com os amigos!
Ficou decidido fazer um simples lanche numa tarde de domingo e só. A diversão ficaria por conta da criançada!
Eu e Eder colocamos a mão na massa e não compramos nada pronto.

20140302-011836.jpg

20140302-011853.jpg

20140302-011930.jpg

Não fizemos nada demais
- brigadeiro
- beijinho
- pão caseiro
- patê de azeitona
- patê de alho
- sanduíche de sardinha
- sanduíche de queijo
- suco de maracujá
- self service de bolinho (explico em baixo)
O negócio ia ser tão simples, que nem decoração ia rolar. Maaaaaas quem disse que eu aguento?
Tinha umas sobras de papel colorido do ateliê que iam pra reciclagem e eu achei desperdício, então guarde. Era hora de usar!
Fiz dois tipos de tiras – argolas de papel e papel costurado. Pendurei no teto prendendo com fita adesiva de silicone.
Super simples, mas deu um colorido super legal!

20140302-013509.jpg

20140302-014106.jpg

O resto da mesa fui montando com coisas que tinha em casa!
A toalha da mesa é um pedaço de malha.
A suqueira é um filtro plástico.
O prato duplo para bolinhos é da Chá com Chita (Recife).
O baleiro eu já tinha e como todo mundo pergunta, comprei no atacadão dos presentes (Recife).

E a parte mais legal de todas: o bolo!
O bolo que não teve, Isadora não gosta de parabéns e por isso nunca cantamos e também não faz questão de bolo tradicional.
Então decidimos fazer bolinhos como no aniversário anterior e Isa sugeriu deixar a “molecada” fazer uma “melecada”: cada uma montava o seu seu com as coisas preferidas. Essa foi a melhor ideia! Foi um sucesso e a maior farra!
A receita do bolinho é do Pitadinha e super fácil!
As coberturas foram:
- brigadeiro de colher (branco e chocolate) – é só fazer o brigadeiro normal e no fim acrescentar a caixa de creme de leite.
- doce de leite
- confete
- coco ralado
- bolinhas crocantes
- castanha

20140302-015809.jpg

20140302-015834.jpg

20140302-015857.jpg

20140302-015919.jpg

Além do “comando de valer” que Eder faz e que já é tradição, as brincadeiras foram sendo sugeridas por elas no decorrer da tarde. Teve dança das cadeiras, gato mia, imagem e ação, pega-pega. Teve a hora da fofoca e segredinhos (da qual eu participei, claaaaaaaro)… E eu ganhei muitos abraços e o apelido de Diva!
Foi muito legal ver Dorinha tão feliz, querida pelos amigos…

20140302-021329.jpg

20140302-021048.jpg

20140302-021021.jpg

20140302-020943.jpg

20140302-021433.jpg

No fim do dia a casa tava toda suja, tinha chocolate espalhado por tudo quanto é canto, eu tava sem voz, sem pés, um caco! Mas o coração tava cheio de amor!
Dorica foi dormir radiante e eu que tava preocupada em fazer algo simples e divertido fui dormir feliz com a lição de que onde tem pessoas (principalmente crianças), coisas são descartáveis!

20140302-021708.jpg

20140302-021728.jpg

20140302-021757.jpg

*fotos de celular (eu amo instagram… Pra ver muita foto de cachorro e de comida é só seguir @evinhac)

Aniversário de 10 anos aqui
Aniversário de 8 anos aqui

Domingo deu uma vontade de fazer um bolo, mas queria um bolo simples, bolo de ovo (como eu chamo).
Gente, eu não lembrava de jeito nenhum da receita do danado do bolo simples. Procurei no Pitadinha e no Quitandoca e só tinha bolos de outras coisas…
Apelei pra Tia Léa, que ficou sem entender:

Lá fomos nós, eu e Dorica fazer bolo! Não reparem a bagunça, eram duas crianças na cozinha, uma de fato e outra que não se deu conta que já cresceu.

No meio do caminho resolvemos fazer um bolo comum misturado com bolo de chocolate.
E foi assim que a gente fez.
Misturamos 3 colheres de manteiga e 1 xícara e meia de açúcar. Batemos até ficar bem misturado. Adicionamos 2 ovos. Fomos adicionando de forma intercalada 2 xícaras de farinha de trigo e 1 xícara de leite. Pro bolo ficar mais levinho, colocamos 1 xícara de amido de milho (se você não tiver pode colocar uma terceira xícara de farinha de trigo). Depois que estiver bem misturado, adicione uma colher de sopa de fermento. A essa altura o forno já deve estar ligado pra pré aquecer. Jogue a massa em uma forma untada com manteiga e chocolate em pó e corra pra fazer a massa de chocolate. Faça igual à massa comum, adicionando chocolate em pó e se achar que precisa, coloque também um pouquinho mais de leite. Despeje sobre a outra massa e leve ao fogo por 50 minutos (pode variar de forno pra forno).

Depois de tirar o bolo do forno, era a hora da cobertura. Fiz com açúcar e chocolate em pó (não sei as medidas, fiz de olho), levei ao fogo com um pouco de água até ficar em ponto de calda e misturei um caixinha de creme de leite. Quando levantou fervura, deixei mais um pouco e desliguei o fogo. Furei o bolo ainda quente e joguei a cobertura, também quente, isso faz com que a calda penetre no bolo com mais facilidade e deixe o bolo bem molhadinho!

Fez a alegria do domingo <3

O Nome de Isadora é uma homenagem à mãe de Eder que se chamava Dora e a Isinha (minha irmã).

Dona Dora adorava cozinhar e tinha receitas deliciosas. Eder tá sempre comentando de alguma receita que ela fazia e de que ele sente saudade.
Dorica por sua vez nunca teve a chance de provar os quitutes da vó já que ela faleceu antes dela nascer. E não conviveu muito com o pai de Eder, já que ele mora em São Paulo.
Semana passada o pai de Eder veio nos visitar e trouxe uma receita de bolo da Dona Dora.
Pra todo mundo, era só uma receita DELICIOSA de bolo de laranja: molhadinho, fofíssimo e saboroso!
Pra mim e pra Eder era Dorinha vivendo coisas das quais foi privada.
Era seu avô fazendo pra ela um bolo com receita de Dona Dora, era dessas coisas que não tem dinheiro no mundo que compre. Era resgate, era amor, era carinho.
Era um bolo com um gosto que nenhum outro poderia ter! Se foi coincidência ou não, não sei, mas Isadora que é bem chatinha pra comer e não gosta de experimentar coisas novas e já tinha por várias vezes rejeitado experimentar bolo de laranja, comeu, adorou, repetiu, levou de lanche na escola…

Claro que eu pedi o papelzinho que estava escrito a receita!

Se fizer me conta se deu certo? Se gostou?

Beijoca!

Já é clichê, tradição, cultura ou sei lá o quê, festejar a sexta e lamentar a segunda.

Isso não faz parte do meu dia a dia. Acredito que quando a gente tá bem com a nossa vida todos os dias são dias bons. Os finais de semana são bons e os dias de semana também, cada um pelo seu motivo. Acredito, de verdade, que se você tem que fazer um grande esforço pra encarar a segunda, alguma coisa tá fora do eixo, desencaixada. É bom parar e refletir o porquê disso.

É bom curtir a família, descanso, um passeio do fim de semana, mas o trabalho durante a semana é o que, no mínimo, te proporciona tudo isso.

Já pensou como seria sua segunda se você olhasse pra ela com mais alegria e menos pesar?
{tô falando pra quem acha a segunda o pior dia da semana}
Se você visse nela mais um dia da vida para realizar coisas?

É pra pensar! Pra refletir!

Uma dica é preparar um café com mais calma, aproveitando mais cada etapa. Sair do automático. E pode parecer que isso vai tomar um pouco mais do seu tempo e te fazer acordar mais cedo, ou se atrasar, mas dá pra colocar mais amor e delicadeza na manhã de segunda {de terça, de quarta…}, não é tão difícil assim. Cortar um pão num formato diferente, sentir (prestando atenção) o cheiro do café sendo coado, colocar um música legal enquanto prepara e come. Com um pouco de vontade e atenção se encontram métodos de fazer isso sem “danos” ao relógio. Reuna as pessoas que ama pra compartilhar esse momento {e se você é só, pode ser um presente de você, pra você!}

Pegando carona nesse assunto, deixa eu mostrar uma ideia bem prática, gostosa e saudável!

Passeando pelo Facebook (eu nem faço muito isso… cof cof) me deparei com esse vídeo!

Concordei plenamente e resolvi testar. Confesso que estava bem animada pelo fato de incorporar mais um alimento que passe por menos processo industriais ao nosso dia a dia, mas meio duvidosa achando que não ia conseguir fazer de forma que ficasse gostoso o suficiente pra eu não sentir saudade da granola Tia Sônia. Não achei mesmo que seria delicioso, apenas saudável e gostoso. Me surpreendi e achei mais gostoso que a Tia Sônia. Ficou diferente da granola porque eu não assei e aí não fica crocante, mas gostei dessa forma.

Fiz uma quantidade grande pra usar sempre que desse vontade (isso acontece várias vezes ao dia). Não segui nenhum regra para os itens que coloquei nem quantidade, foi no olhão!

- Semente de chia
- Semente de linhaça
- Gergelim
- Aveia integral em flocos
- Castanha do pará
- Castanha de cajú
- Nozes
- Passas
- Damasco
- Açúcar mascavo (me arrependi de colocar porque coloquei demais e ficou muito doce e sem contar que seria uma ótima mistura pra jogar na salada, mas doce não quis arriscar)
- Coco (mas me arrependi também porque o coco tem uma validade menor e aí corro o risco de estragar tudo. O ideal é adicionar na porção que vai comer, assim como o mascavo)

E aí dá pra ir variando e colocando as coisas que mais gosta! Se fizer, vem me contar?
E aí? Topa tentar uma mudança em como você encara as segundas?
Tem mais alguém aí que também acha que há amor na segunda?

© 2014 asperipeciasdeeva.com.br Suffusion theme by Sayontan Sinha